Dá? Sim! Alguns truques podem te ajudar a turistar de forma econômica, mesmo em euros. Morando aqui na Itália e viajando por aqui, descobri formas de não fazer parte do hall dos turistas desinformados, que eventualmente acabam gastando mais grana do que achavam que gastariam nos passeios. Veja o que você pode fazer para aproveitar mais a bela Itália e o seu dinheiro!

Aprenda a comprar o bilhete certo de trem

Veja a diferença de valores!

No site da Trenitalia, ao procurar por uma passagem, note que há mais de um tipo de categoria: Intercity, Regionale e os Le Frecce. Eu já escrevi sobre isso e clicando aqui você pode entender melhor as categorias. Geralmente, eu viajo com o Regionale, que é o trem mais comum e mais barato. Ele já é bem confortável e dificilmente pego lotado. Essa é a dica principal para turistar de forma econômica!

Se você quer pagar barato, escolha sempre a opção Regionale – se houver no percurso que deseja fazer. A única desvantagem é que às vezes a viagem demora um pouco mais, como 1h a mais do que uma viagem de Le Frecce, então é bom você saber dosar tempo e custo. Às vezes, o Intercity compensa mais por ser um pouco mais rápido, embora seja um pouco mais caro que o Regionale. Ah, também não esqueça de, antes de tudo, ver as promoções na home do site. Sempre tem! E, se você estiver morando na Itália, faça uma Cartafreccia para ter mais descontos.

Veja as promoções de bilhetes nos sites de museus e atrações

Esse aí é para ver os templos gregos em Paestum

Há museus e atrações que têm bilhetes pela metade do preço para quem tem até 25 anos, sabia? Há também dias que a entrada é de graça. Portanto, é sempre bom verificar no site dos museus e atrações os tipos de bilhetes que eles disponibilizam, pois muda de acordo com a cidade.

Leve seu almoço na mochila

Meu almoço quando fui visitar Paestum

Essa é uma dica mais radical, mas que te fará turistar de forma beeem econômica! Quando vou fazer turismo pela cidade, evito comer em restaurantes e bares da região próxima dos pontos turísticos e, de preferência, levo meu próprio almoço, que preparo em casa. Você pode preparar no hostel/hotel também. Levo uma fruta, dois sanduíches e um pacote de cookie ou uma latinha de batata tipo Pringles.

Não caia na história do “menu turístico”

Pizza que comemos no Gino Sorbillo

Agora, caso também queira experimentar a maravilhosa comida italiana, faça isso, sem dúvidas, mas não caia no truque do “menu turístico”, que custa em torno de 15 euros. Você pode comer uma pizza maravilhosa por cerca de 3 ou 4 euros. Para se ter noção, uma pizza em uma das melhores pizzarias do mundo, a Gino Sorbillo, que fica em Nápoles, custa 4 euros (claro, sabores mais clássicos, como Margherita) e você ainda pode dividi-la, caso não esteja adaptado a comer uma pizza inteira sozinho.

Evite sentar na mesa em um restaurante

Essa sou eu tomando meu chocolate quente no balcão

A maioria dos restaurantes cobram para sentar nas mesas, você sabia? Isso se chama coperto e às vezes você nem percebe que pagou por ele, pois geralmente o valor está meio escondido no menu ou vem somente na conta. Quanto mais turístico for o restaurante, mais alta a chance de ter o coperto.

Se quero um café ou um sorvete, ou seja, algo rápido, como no próprio balcão do lugar. Se não tiver balcão, peço “da portare via”, isto é, para viagem. Isso serve também para pizzarias, mesmo as mais chiques. Você pode pedir uma pizza da portare via e comer no hostel/hotel ou mesmo numa praça. Esse é, aliás, um hábito bem comum italiano: pedir pizza e comer na praça, num banco, principalmente aos finais de semana.

Não compre água: pegue das fontes!

Fazendo o ritual da água

Quase todas as cidades italianas têm fontes de água pela rua. Não, aquela fonte não é enfeite! Você pode encher uma garrafinha ou apenas parar para tomar ali mesmo. Não há necessidade de ficar comprando água no mercado.

Tenha um fone sempre em mãos e, se necessário, um split P2 para usar em audioguias

Split é essa pecinha para usar dois fones de uma vez em um mesmo aparelho

Por experiência própria, percebi que vale a pena pagar por audioguia quando se visita museus, porém, é um certo investimento, pois custam em torno de 5 euros. Quando se está acompanhando, a ideia é pegar apenas um audioguia e dividir com a outra pessoa, por isso é bom sempre ter um fone em mãos.

E, para ficar ainda mais confortável, você pode acoplar o split P2, que é um separador para ligar dois fones num mesmo aparelho. Pronto, por 2,50, você e sua companhia podem usar o mesmo audioguia e de forma cômoda, sem um ficar puxando o fone do outro.

Pronto, agora você já pode turistar de forma mais econômica e conhecer bem a Itália!

Talvez você também goste

Um comentário

  • Marco Bianco Janeiro 11, 2017   Responder →

    Oi Bruna, eu tirei minha cidadania no final de 2015 em Grosseto e estou querendo voltar para alguma cidade da Itália para ficar uns 6 meses, você tem alguma ideia de emprego para cidadão italo-Brasileiro que não fala a língua ?, eu estava aprendendo e parei, mas estou querendo voltar para aprender e o trabalho seria para me manter ai, você tem ideia de como esta emprego para estrangeiro ?. Obrigado

Deixe um comentário